et-loader

Audioarts Lightning

Nesse momento a “brincadeira” fica um pouquinho mais séria. De primeira percebemos que a Lightning veio para substituir as lendárias D75/76. Com recursos básicos parecidos e ainda mais incrementos, é apresentada em um corpo de metal e com volume reduzido. A ponte de medidores curvados em LED, vindos da série LX da linha IP da Wheatstone, trazem um um luxo para a console que nos remete novamente à linha IP.  E é isso que esperamos do TOP de linha desse segmento analógico. Vamos às características básicas:

  • Quatro barramentos de PGM (PGM 1, 2, 3 e 4); • 21 canais, que se dividem em: quatro canais para microfones (reversíveis), dezesseis canais para linha, um canal para 2(duas) Híbridas; • Seleção A/B permitindo duas fontes por canal, alternadamente; • 4 circuitos pré amplificadores para miocrofones com ganhos independentes. As saídas são diretamente conectadas aos canais de 1 a 4. Contudo é possível revertê-los para linha através do dipswitch no painel traseiro, habilitando assim a fonte no conector RJ45; • O canal 21, com o nome de CALLER, é usado para receber áudio de híbridas e possui um retorno MXM (mixminus) para essas híbridas; • Botões ON e OFF independentes; • Botão talkback; • Controles independentes Para Monitor, Cue, Fones e Studio; • Chaveamento de tally embutido para controle de um Relè externo; • Entrada “EXT”,  para inserção de um Receiver ou som processado para retorno do locutor; • Alto-falante de CUE interno; • Timer Automático/Manual; • Bluetooth; • 2 (duas) Interfaces USB; • Fonte externa Padrão 19”;

Apresentada na NAB de 2018 essa console seduz ao primeiro contato. Com linhas e contrução robusta, ela entrega uma aparência de muita qualidade em seus componentes como faders, botões e módulos em geral. Com o gabinete low profile, não há necessidade de nenhuma intervenção no mobiliário para intalá-la, basta que seja acomodada sobre o tampo. A instalação em geral se torna ainda mais fácil pela adoção definitiva dos conectores RJ45 e para acessarmos os ajustes e labels dessas entradas e saídas, basta que a ponte de medidores (tampa) seja aberta, para revelar uma organização que facilita todo entendimento. Meu destaque fica para a conectividade. Com 2 interfaces USB e um Bluetooth, temos a já discutida versatilide, mas o que a torna ainda melhor é a possibilidade de termos possibilidade de conexão de 2 (duas) híbridas , em vez de apenas uma, como nos modelos anteriores. E fica ainda melhor, como ambas possuem saídas independentes, o TALKBACK também é, permitindo conversas off-air independentes.

Ainda falando da USB e do Bluetooth, ambas as interfaces possuem suas saídas em conectores RJ45 que podem ser direcionados para qualquer canal que seja necessário, ainda como nos modelos anteriores. A USB 2 possui uma peculiaridade, a mesma foi desenhada para possibilitar a gravação de uma ligação de forma totalmente independente. Compatível com o software Voz pro e muito outros softwares de edição, é possível entregar o áudio específico apenas com um reposicionamento do dipswitch, localizado abaixo da ponte de medidores. Muitas outras facilidades podem ser enumeradas como um conversor DA/AD que possibilita entrarmos com uma fonte digital AES e poder retirá-la analogicamente e redirecionar para qualquer canal. O PGM 1 também está disponível como uma saída AES, falilitando assim para quem entrega áudio digital diretamente para o processamento. Finalizando essa rápida análise da Audioarts Lightning, e consequentemente da linha analógica, digo que essa nova abordagem das consoles da Audioarts não fica devendo em nada ao seu passado sólido. Precisamos ter em mente que em dias onde o Audio sobre IP brota em todos os cantos na radiodifusão, ainda há consoles analógicas perfeitas para cada necessidade. Nesse bate papo pudemos conhecer um pouco de cada uma, suas principais características e recursos, que muitas vezes são invisíveis para quem não está atento. A Audioarts Lghtning fecha essa conversa e com louvor, com seus recursos únicos e conectividade afiada, ela traz o que tem de melhor em consoles analógicas hoje. Certamente uma aquisicão que ser manterá atual por muito anos.

Audioarts e Wheatstone introduzem no mercado o Audioarts Lightning, um novo mixer de rádio para uso no ar vivo um console autônomo com as mais recentes conveniências modernas, como conectividade USB e Bluetooth®.

O Audioarts Lightning vem em configurações de 12 ou 16 canais e possui um design modular com quatro painéis de entrada de canal e um painel Master / Monitor com faders lineares para controle de nível de headphone e sala de controle. Todos os faders são de plástico condutor e todos os interruptores são iluminados por LED. Canais de entrada possuem seleção de fonte A / B, com linha balanceada na fonte A e linha aparavel de -10 a +4 na B.

No Audioarts Lightning os recursos padrão incluem quatro barramentos de programa estéreo, dois auto-mix-minuses para chamadas, quatro pré-amplificadores de microfone com ajuste de ganho variável e alimentação fantasma + 48V selecionáveis, além de fone de ouvido integrado e amplificadores de alto-falante CUE. Cartões pré-amplificadores de microfone de quatro canais adicionais podem ser instalados, se necessário.

“Este é o console perfeito para estúdios que possuem entradas de fontes de microfone ou analógicas, e onde muitos roteiros de estúdio não são necessários. Ele não possui as extensivas conversões A / D, D / A de uma placa digital típica, mas você ter acesso a software de edição, Skype ou outras fontes externas através de conectividade USB e Bluetooth “,

A conectividade USB e Bluetooth integrada é útil para reproduzir áudio diretamente de um PC ou saída de áudio para edição no VoxPro ou outro software de gravação, bem como receber e gravar chamadas de celulares com Bluetooth ou reproduzir reproduções de MP3 players. O console também contém uma entrada AES passível de conexão para conectar a fonte digital a qualquer fader, e conversão A / D integrada para a saída do programa principal para que os operadores possam acessar o feed Program Air como analógico balanceado, AES3 digital ou ambos simultaneamente.

O novo mixer é a mais recente adição à linha de consoles Audioarts, que varia em tamanho e recursos desde os 8 canais Audioarts 08 e Compact Air-1 até os 12 canais Air-4 e 16 canais Air-5.

“Este console tem um preço comparável ao console R-55e AudioArts que era popular em sua época, mas tem muito mais recursos e é um design geral melhor”.